Le Cordon Bleu Logo

Open Doors

Le Cordon Bleu São Paulo recebe 35 visitantes no primeiro Open Doors e já se prepara para o próximo evento, no dia 30 de junho




O sonho de conhecer o Instituto de Artes Culinárias Le Cordon Bleu São Paulo se tornou realidade para os participantes do primeiro Open Doors, realizado neste sábado, dia 23. Cerca de 35 pessoas compareceram ao evento para visitar as cozinhas do instituto. O próximo Open Doors já tem data marcada para sábado, dia 30 de junho.

O instituto abriu as suas portas às 10h para os participantes visitarem as instalações, que seguem os mesmos padrões de todos os 20 países onde está presente o Le Cordon Bleu. Em São Paulo, o instituto oferece aos estudantes infraestrutura de sete cozinhas profissionais, sendo duas dedicadas às aulas de demonstração, duas para cozinha, uma para confeitaria e padaria, uma polivalente e outra para preparo e produção, além de auditório para aulas teóricas e uma biblioteca. As salas são equipadas com as mais modernas tecnologias de culinária.

Na abertura, o diretor técnico, chef Patrick Martin, e o gerente do instituto Cláudio Baran apresentaram o programa acadêmico do Le Cordon Bleu e explicaram os cursos que fazem parte do currículo internacional do instituto, como o Diplôme de Cuisine, Diplôme de Pâtisserie e o Grand Diplôme. Também receberam os participantes do Open Doors, os chefs Jean Yves Poirey, Amanda Lopes e João Paulo Frankenfeld. As próximas turmas iniciam as aulas no dia 16 de julho. Conheça os nossos programas e faça a sua inscrição.




Os visitantes puderam assistir a uma aula de demonstração com os chefs do instituto e sentiram o gostinho de como é a rotina dos alunos da maior rede de Artes Culinárias do mundo. A receita do dia foi o Poulet Grand-mère, um frango preparado com ceboletes, bacon, champignon e batatas. Para a demonstração das técnicas de Pâtisserie, os chefs escolheram produzir um Fraisier, um clássico da pâtisserie francesa à base de genoise embebido em Kirsch e recheado com creme de mousseline e morangos frescos.















Os chefs Jean Yves e Amanda Lopes cozinham para os visitantes na sala de demonstração

Uma das participantes do Open Doors foi Thaís Panizza, que escolheu mudar de carreira após atuar dez anos na área financeira e se profissionalizar no que mais gosta: cozinhar. Thaís já tinha interesse em estudar no Le Cordon Bleu fora do país. Quando soube do Open Doors, logo quis conhecer o instituto de São Paulo. Ela já decidiu que vai fazer o Diplôme de Cuisine e talvez siga também com a formação no Diplôme de Pâtisserie.

“Estudar no Le Cordon Bleu é um sonho. Quando cheguei no instituto, meu coração bateu forte, eu não queria ir embora. Depois que você começa a ver a estrutura, os chefs e as pessoas que compartilham do mesmo amor que você tem pelos ingredientes e pela cozinha, fica tudo mais fantástico”, afirmou.

Outra visitante foi Rose Koraicho, que adora cozinhar para a família e amigos. Ela já fez diversos cursos e foi aluna da chef Renata Braune. Assim que soube que seria inaugurado o Le Cordon Bleu em São Paulo, começou a pensar em estudar o Basic Cuisine ou os cursos rápidos, que ainda entrarão na programação do instituto. Rose não perdeu a chance de conhecer o instituto e logo se inscreveu para o Open Doors.

“Eu gostei bastante de conhecer o Le Cordon Bleu. Achei o ambiente muito convidativo, assim como a postura dos chefs. As duas salas de trabalho que conhecemos eram muito organizadas, com equipamentos de qualidade. Realmente fiquei com muita vontade de fazer o curso”, disse.

 

Notícias e Eventos

Leia mais
Leia mais
TOP